Ser cristão no mundo virtual

Ser cristão no mundo virtual

Download do texto.

É incrível ver que muitos líderes da Paróquia estão nas redes sociais! Blogs, Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest, etc. São locais espantosos onde o teu percurso de fé pode ser partilhado, onde podes conhecer outros líderes e outras experiências pastorais, e ligar-te com quem de outra forma não te ligarias. Nesses locais, mesmo que não o digas ou mostres, as pessoas podem reconhecer-te como “alguém da Igreja”…

Deixamos aqui algumas dicas para teres em mente para quando navegares no mundo online em nome pessoal:

  • O @teu_nome é cristão? Quando te ligas, podes sentir-te uma pessoa diferente. Talvez vejas o mundo virtual como um local para relaxares do stress do mundo real. Pergunta a ti mesmo: os meus seguidores podem concluir que sou discípulo de Jesus? As coisas que digo revelam amor e estão de acordo com a minha fé e com a minha Paróquia? Dedica algum tempo a ver se o @teu_nome revela a tua relação com Jesus.
  • Estás entre amigos – às vezes. Podes pensar que o teu espaço web é uma sala de família. Mas não é! Estás visível para toda a gente! O teu stream no Twitter, a tua página no Facebook, o teu feed no Instagram, etc., são visitados por amigos e não só! O Google pode levar até este teu espaço gente desconhecida, de qualquer parte do mundo. Aquela foto que publicaste há cinco anos pode continuar a aparecer. E o teu post pode ser consultado fora do contexto! O que metes na net, fica na net. E, muitas vezes, não é só para os amigos.
  • Espalha notícias, mas no devido tempo. É espetacular usar as redes sociais para partilhar as maravilhas que Deus faz na Paróquia. Mas, tudo a seu tempo e sem abusar da paciência dos teus amigos e seguidores!
  • Estragar? Um post muito religioso e fiel à missão da Paróquia pode ser alvo de muita critica e ódio se for publicado no local errado, no grupo errado, à hora errada. Pensa sempre antes de publicar algo.
  • Faz perguntas. Se quiseres estimular alguma conversa sobre um tema, faz um post com questões abertas, não com doutrina.
  • Sê inteligente. Em termos legais, és responsável por aquilo que colocas na internet. Por isso, tem em atenção dos direitos de autor, os copyrights e outras regras. Cuidado com os vídeo-clips. Pode ser melhor partilhar um link que copiar o seu conteúdo.
  • Respeita. Respeita outras igrejas, outras paróquias, outros ministérios, outras opiniões, grupos políticos e ideológicos. Serias capaz de dizer face a face o que escreves em relação a alguém?
  • Verifica as definições. Protege a tua privacidade online. Verifica as tuas definições. E pensa duas vezes antes de aceitar amigos ou seguidores desconhecidos.
  • Falar em nome da Paróquia. Não estás autorizado a falar oficialmente pela e em nome da Paróquia em relação a assunto algum. No entanto, os teus seguidores não sabem disso e podem interpretar as tuas publicações como a opinião oficial da Paróquia ou da Igreja. Deves ter cuidado, para evitar mal-entendidos.
  • Comunicação social. Se fores contactado pela Comunicação Social deves remeter para Equipa de Liderança antes de responderes a perguntas. Em casos graves, o Gabinete de Comunicação da Diocese deve ser informado.
  • Pensa antes de fazer um RT. Retweeting, sharing, reblogging—são formas fantásticas de espalhar notícia, fotos, avisos. Mas, antes disso, verifica a veracidade da informação. Certifica-te que viste o vídeo todo e leste o artigo.
  • Se tiveres dúvidas, sê positivo. Estejas a responder a um comentário sarcástico, estejas frustrado com alguma pessoa ou empresa, com vontade de fazer uma declaração política ou sobre algo que te irrita, nunca te arrependerás se seguires o caminho certo (e às vezes pode ser o do silêncio). Lembra-te, as pessoas precisam mais do teu amor do que da tua opinião.

A tua presença na web é uma extensão do teu ministério pessoal e da tua vivência de Igreja. Estamos ansiosos para ver como viverás o teu cristianismo no mundo online, como discípulo-missionário!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.